Concurso ANTT 2019 – Previsão de Edital





Oportunidades devem exigir do candidato o nível médio ou técnico completo.

Fundada em 2001, seguindo o boom das agências reguladoras no Brasil na época, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (cuja sigla é ANTT), criada pela Lei Federal nº 10.233/2001, é uma autarquia federal responsável por regular, supervisionar e fiscalizar o transporte terrestre federal no nosso país, tanto nas prestações de serviços de tal natureza quanto na exploração da infraestrutura rodoviária e ferroviária em nosso país.

Vinculada ao Ministério da Infraestrutura desde 01 de janeiro de 2019, a Agência tem o papel de implementar as políticas públicas relativas ao transporte terrestre elaboradas pelo Ministério dos Transportes (e atualmente pelo Ministério da Infraestrutura), empregando recursos para tal e orientando-se pelas diretrizes estabelecidas pelo Ministério.




Aliás, a ANTT se regula pelo regime legal que regra as atividades das Agências Reguladoras em território nacional e possui vários regramentos interessantes, como por exemplo o de exercício de presidência do órgão. O presidente da ANTT é indicado pelo presidente da república, pendente de aprovação pelo Senado Federal, e exerce um mandato de 5 anos, cumprindo os requisitos atuais presentes na Lei 9.986/2000.

Entretanto, o órgão também conta com vagas de carreiras federais de regime estatutário e seu provimento se dá por meio de concurso público, tais como as vagas de Especialista em Regulação, Técnico em Regulação, Analista Administrativo e Técnico Administrativo. Cada carreia possui requisitos específicos distintos, mas em uma coisa são parecidas: todas são agraciadas com salários acima da média do mercado de trabalho da iniciativa privada, o que pode ser um grande atrativo para quem busca emprego e estabilidade financeira durante toda a vida.


Veja as vagas em aberto para a abertura de concurso da Agência Nacional de Transportes Terrestres

Mostrando a necessidade do órgão para preenchimento de vagas em aberto ou de expansão do número de vagas para aumentar sua eficiência e abrangência de atuação efetiva, a Agência Reguladora encaminhou pedido ao Ministério da Economia para a abertura de um concurso público que realize-se o provimento de postos nas quatro funções acima mencionadas.

O pedido contempla quase 400 vagas em seu quadro de pessoal espalhado por todo o país e seguem a seguinte ordem: 208 vagas para Técnico em Regulação, 87 para Técnico Administrativo, 63 para Especialista em Regulação e 36 para Analista Administrativo, todas com boas remunerações.

Conheça as remunerações para os cargos em aberto da Autarquia Federal

Para os cargos de Técnico Administrativo, a remuneração atual é de R$ 7.474,67 e a função exige apenas ensino médio completo como requisito específico, além dos especificados em lei para que uma pessoa possa fazer jus a tomar posse em cargo efetivo do serviço público federal. Já para o posto de Técnico em Regulação, é possível que se exija na redação dos editais um curso técnico, considerando que o agraciado com esta vaga já começará na função recebendo R$ 7.846,37 por cada mês trabalhado.

Não se espante caso você souber os valores dos proventos dos cargos de Especialista em Regulação e Analista Administrativo, o que informaremos a seguir.

Para tais funções públicas federais mencionadas acima, o salário inicial é de R$15.516,12 e R$ 14.265,57 respectivamente, quase o dobro dos anteriores e com um excelente plano de carreira federal.

Vale ressaltar também que todas as carreiras acima (independente da escolaridade exigida) contam com benefício de Vale-Alimentação no valor de R$ 458,00.

Vale muito a pena estudar para entrar nesse órgão, não é mesmo?

Saiba como foram as provas passadas para ingresso na Agência

Os últimos processos seletivos para o órgão ocorreram em 2008 e 2013, respectivamente para o provimento dos cargos sobre os quais já falamos acima. Nas ocasiões, em 2008 a banca examinadora foi o NCE e em 2013 o certame contou com a elaboração, supervisão, fiscalização e aprovação pela banca Cespe/UNB, referência na área de realização de certames no Brasil.

As provas contiveram prova objetiva, redação, teste discursivo, contagem por ponto de título e curso de formação. Importante lembrar que a prova de redação foi aplicada apenas em 2008, não repetindo-se em 2013.

Já vimos que vale a pena estudar para ser funcionário da ANTT, não é mesmo? E que já há pedido do órgão em tramitação no Ministério da Economia. Portanto, não fique atrás do seu concorrente, analise os últimos editais e não tarde em começar a estudar para já largar na frente. Boa sorte a todos!

João Victor Fernandes Martins de Pontes

Comentários