Concurso Ministério da Justiça 2020 – Previsão de Edital





Seleção deve contar com 35 vagas.

O Ministério da Justiça pretende ofertar vagas no seu próximo concurso. O processo para o edital já foi publicado no Diário Oficial. O edital oficial deve sair em maio. Confira mais detalhes agora.

O novo concurso do Ministério da Justiça será realizado para contratar profissionais por tempo determinado. Como esse é um tipo de contratação para profissionais não efetivos, o processo seletivo só contituirá em algo mais simples. O anúncio veio do diário oficial da união, do dia 19 de novembro, através da portaria 7937.




O protocolo foi assinado por vários encarregados, como o secretário especial, de desburocratização, governo e gestão digital do Ministério Econômico, Paulo Spencer Uebel, e o Ministro da Justiça, Sergio Moro. Em breve, mais informações devem ser liberadas.

O que se sabe até o momento é que o concurso ofertará 35 vagas para profissionais trabalharem durante um período de aproximadamente 4 anos. O decreto também exige pelo decreto que o profissional seja docente ou pesquisador das áreas de competência. Os valores de remuneração tendem a ser ofertados em uma média de R$ 8.300,00. A portaria também determina que os editais possuam a obrigação de serem publicados em um período de 6 meses. Por isso, espera-se que o edital saia em até, no máximo, o dia 19 de maio de 2020.


Os cargos oferecidos consistem em atividades técnicas relacionadas aos postos de engenharia da informação e engenharia de nível sênior. Desses postos, estão previstas 10 vagas para a área de engenharia de dados (Big Data), 13 vagas para trabalhar como analista de governança em dados e 12 para a parte de cientista de dados. Os profissionais efetivados desse processo seletivo serão inseridos no projeto Sinesp Big Data e no projeto de Inteligência Artificial, para ser usado como recurso do Ministério da Justiça.

Sobre o último concurso do Ministério da Justiça

O último concurso do Ministério da Justiça aconteceu em 2013. Naquele ano, foram ofertadas 125 vagas para o nível superior. As vagas foram destinadas a um cargo que não conta, necessariamente, com uma formação específica, o cargo de analista técnico administrativo.

Além das vagas para analista técnico administrativo, o processo seletivo também ofertou vagas para outros cargos específicos, como engenheiro elétrico, que teve duas vagas, engenheiro civil, que contou com 8 vagas, economista, que teve 4 vagas disponíveis, contador, que contou com apenas uma vaga, e administrador, que, por sua vez, pôde contar com 10 vagas na sua área.

Os candidatos que foram selecionados passaram a receber remunerações entre R$ 3.980,62 e R$ 5.081,18, com uma jornada de trabalho equivalente a 40 horas semanais.

A forma de avaliação foi a de provas discursivas e objetivas, com grau eliminatório e classificatório. A avaliação objetiva contava com 50 questões de conhecimentos gerais e mais 70 questões de conhecimentos específicos.

O que estudar para o concurso do Ministério da Justiça?

Ao tomar como base o último edital, do concurso de 2013, é possível ter uma compreensão das matérias que deverão sair para esse próximo edital. São apenas especulações, a grade deverá sair com mais detalhes no edital oficial. Contudo, espera-se que os conhecimentos cobrados deverão ser competências que conferem às áreas de lígua portuguesa, raciocínio lógico, nocões básicas de informática, legislação específica, noções de direito constitucional, noções de direito administrativo, conhecimentos específicos e conhecimentos que dizem respeito às atualidades.

A tomar nota de processos mais simplificados como esse tende a ser, é possível encontrar uma grade mais condensada e simples. Dessas avaliações mais simples, é provável que caia matérias como as de língua portuguesa, conhecimentos básicos de direito, conhecimentos de informática e legislação relacionada ao Ministério da Justiça. Como a divulgação do edital oficial já está próxima, é recomendável que os primeiros estudos sejam voltados para matérias de que já se tem certeza que serão cobradas, como português e direito.

DAVI GABRIEL SOARES

Comentários