Concurso Previsto TCE PB 2018 – Vagas





Certame está previsto para ser realizado em 2018 e terá vagas para Auditor.

No norte do Brasil um novo concurso público está em processo de abertura. Trata-se do TCE/PB, cujo contrato com a banca organizadora foi assinado, sendo um certame destinado a vagas para Auditor. O cargo em questão está com 10 vagas disponíveis, cuja condição de preenchimento é a de que os interessados possuam diploma de graduação em curso superior em áreas específicas. A remuneração inicial pode chegar ao valor de 29 mil reais.

Foi divulgado pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba – TCE/PB – em nota específica da publicação no diário oficial, na última quinta-feira, dia 19 de outubro, a confirmação de assinatura de um contrato firmado com a banca organizadora, que será a responsável pelo novo concurso público aberto. A empresa determinada para esta finalidade será o Cebraspe, portanto, os interessados precisam estar atentos à publicação do edital, que definirá o período de inscrições ao longo das próximas semanas. Até o presente momento, as informações mais consistentes indicam que a seleção está organizada conforme um critério que oferta 20 vagas, das quais dez destinam-se ao cargo de Auditor.




Como já foi referido acima, para concorrer ao cargo de Auditor Fiscal o candidato precisa estar de posse de certificado de graduação em curso superior, voltado para as áreas especializadas, conforme o cargo, já que o vencimento, inicialmente, está no valor de 16 mil reais. Entretanto, a remuneração, ao longo de uma carreira conquistada por meio do cargo, tende a atingir um valor de aproximadamente 29 mil reais, além das devidas gratificações.

De acordo com informações sobre o último concurso promovido para o mesmo cargo, realizado no ano de 2006, foram ofertadas em torno de 48 vagas, das quais 6 delas estavam destinadas aos candidatos detentores de formação superior em direito, 8 vagas destinadas aos candidatos formados em engenharia civil, 6 vagas aos candidatos formados em informática e computação e as demais 28 vagas voltadas para acadêmicos com graduação em outras áreas. Naquela ocasião a Fundação Carlos Chagas foi a banca responsável pela organização do processo seletivo.


As provas objetivas, no certame passado, eram constituídas de 100 questões de múltipla escolha. Em relação às vagas na área de direito, de engenharia civil e de informática, a prova estava estruturada em: 30 questões versando sobre a língua portuguesa, com relevância de um ponto; foram 50 questões sobre conhecimentos específicos I, com relevância de dois pontos e 20 questões sobre conhecimentos específicos II, com relevância de um ponto.

Na parte que versou sobre Conhecimentos específicos I, foram cobradas noções na área de administração; na área de contabilidade geral; na área de contabilidade e orçamentos públicos; na área de finanças públicas; em auditoria; em disciplina de matemática; disciplina financeira; na área de raciocínio lógico quantitativo; na disciplina de direito constitucional; disciplina de direito administrativo; na área de noções de direito civil e direito financeiro; disciplina de licitações e contratos administrativos; disciplina de responsabilidade fiscal e na área de gestão fiscal e penalidades. Ou seja, foi uma prova rigorosamente elaborada e muito abrangente. Serve de modelo para os candidatos do próximo concurso.

Na parte que versou sobre os conhecimentos específicos II, voltados para o Direito, as questões abrangeram: área de direito comercial, direito penal e direito tributário. Na área da engenharia e de informática, os conhecimentos cobrados estavam em conformidade com as estas duas disciplinas.

Em relação às outras áreas os exames versaram sobre a língua portuguesa, com 30 questões de relevância de um ponto e 70 questões em conhecimentos específicos, com relevância de três pontos, abrangendo conhecimentos específicos em administração; em contabilidade geral; noções de contabilidade e orçamentos públicos; noções em finanças públicas; em auditoria; em matemática financeira; em raciocínio logico-quantitativo; noções de direito constitucional; de direito administrativo; noções específicas em direito civil e direito financeiro; noções em licitações e contratos administrativos; noções sobre responsabilidade fiscal; em gestão fiscal e em penalidades.

Além da prova objetiva, em todos os cargos serão realizadas provas discursivas.

Por Paulo Henrique dos Santos

Comentários